#30DiasSemCarne | Parte 01: A Lição

Quando frequentei a Meta Real, uma das coisas que ficaram na minha mente e que vou lembrar para sempre, foi a seguinte frase: “Uma pessoa precisa se dar a chance de usar o que acabou de aprender!

Muitas vezes aprendemos coisas fantásticas para auxiliar o nosso emagrecimento, mas acabamos nem experimentando, não é assim? Não só para o emagrecimento, mas para outros departamentos das nossas vidas…
Pois bem, após ver esse vídeo do Matt, sobre se desafiar por 30 dias, resolvi fazer um desafio pessoal de 30 dias sem carne, que terminou dia 15 de agosto (semana passada). Descobri depois, através de um amigo, que esses desafios de 30 dias chamam-se trial. Um trial se inicia com 30 dias consecutivos de mudança de algum hábito ao qual não somos acostumados e, depois avalia se quer ou não continuar com essa mudança. Caso queira continuar com a mudança, mas ainda não se sinta seguro para assumi-la, você pode ir para a fase experimental, ou seja, mais 30 dias para experimentar modos de praticar o novo hábito. Ao final desses 30 dias adicionais, ou seja, 60 dias de prática de um hábito novo, você poderá escolher se vai continuar e levar isso para o resto da vida, se vai desistir ou ainda, ir para a fase de consolidação – antes da decisão final, ou seja, mais 30 dias…O trial – 30/60/90 – é a chance que você tem para analisar o novo hábito, praticá-lo, estudar sobre ele, preparar a família e os amigos para uma possível mudança definitiva, planejar como vai ser, etc…

Dessa maneira, você garante:

  •  Estar fazendo com consciência e não por impulso momentâneo ou, obrigado por outras pessoas…Por exemplo: quando assisto vídeos como este (clique aqui), o meu senso ético, aliado à minha busca espiritual, gritam. Meu corpo é invadido pelo nojo e minha alma repele os alimentos derivados da carne. Ou seja, parar de comer carne, assim como mudar qualquer hábito, deve vir de dentro de nós, deve ser feito com amor, com prazer e, deve estar de acordo com aquilo que acreditamos. Logo, essa decisão é pessoal e sincera.
  • Planejamento a médio e longo prazo
    Antes de tomar qualquer decisão, é necessário se preparar psicologicamente, preparar o ambiente, preparar sua família, amigos, pesquisar, falar com profissionais, etc… Essas regras não são obrigatórias, mas como vivemos em uma sociedade carnívora e, por muitas vezes, ignorante; esses cuidados são importantes para que você não se sinta privado e, para que não haja sofrimento.

Tenha em mente que, as pessoas não estão habituadas com escolhas diferentes. Eu passei meus últimos 30 dias tentando viver normalmente, porém, não consegui frequentar os mesmos lugares e sabem porque? Porque nem todos os lugares dão boas opções sem carne, quando dão, são opções nada saudáveis, carregadas de queijos gordurosos ou, verduras refogadas sem gosto…

Em um churrasco, por exemplo, dá para comer muito bem. Mas embora isso, as pessoas não estão acostumadas com a presença de vegetarianos. Ou seja, se você não come carne, frango ou lingüiça, saiba que isso não vai impedir que as pessoas ataquem o queijo coalho, a bruschetta ou o pãozinho de alho (ítens que geralmente são comprados em menor quantidade e, que acabam na velocidade da luz) hehehe.
Quando estamos entre amigos ou família, a conscientização é mais simples, porém, nem sempre estaremos entre pessoas íntimas a nós, não é? O jeito é nos prepararmos, sempre! 😉

Como eu ainda tenho muito a dizer sobre esse meu experimento, continuarei no próximo post para contar os pontos positivos e negativos para vocês, ok?

Beijinhos!

9 Comentários


  1. Muito interessante, Cíntia! Não tenho muito a comentar sobre o assunto escolhido para o seu "trial", mas o fato de você ter exposto como fez e o método escolhido já me fizeram pensar aqui sobre questões minhas. Valeu!

    Responder

  2. oi cintia , gostaria que vc desse uma passadinha no meu blog, acabei de fazer e se puder me da umas dicas,ainda sou crua no blog rrsrsrs te acompanhoja tem um tempo .bjs

    Responder

  3. Amiga!!! Adorei!!!!!!!
    Eu preciso tirar a carne totalmente da minha alimentação!!! Pois ela repoe proteina e como eu perco proteina por causa do meu Lupus que ataca o rim! meu medico me recomenda umas 2 vezes na semana para comer!!!!
    mas acho que vou tentar me desafiar viu!!!
    adorei!! fico no aguardo do proximo post !!!
    beijos amore!!!

    Responder

  4. Cintia minha querida que bom que voltou? Sabe que sinto falta dos seus posts né? Então to muito feliz com esse desafio que vc se impôs e conseguiu vencer. Eu também me desafiei diferente escrevendo sobre mim por 30 dias mais ainda tenho muito a aprender não é mesmo? Ansiosa pelo próximo post!!! bjos

    Responder

  5. Este lance dos desafios de 30 dias para novos hábitos são bem legais porque a gente não vai saber se não tentar consistentemente. Com este negócio de cortar leite gluten por causa dos problemas de saúde é que vi que quando não tem estes ingredientes nos pratos dos restaurantes, a tendência é mesmo de não ser saudável. Durante a viagem teve um dia que eu tive de jantar batata frita com peixe frito porque era uma cidade pequena, no meio do nada, tarde e quase tudo jah fechado…
    Aguardo o post de amnha! Beijocas! 🙂

    Responder

  6. Eu fui vegan por 5 anos. Foi uma fase bem interessante da minha vida, mas a gente percebe o quanto é fácil se adaptar quando temos determinação em algo. Me jogava nas saladas, no pãozinho e sempre estava bem e de bom humor. Acho que o que falta realmente pra gente é a determinação que temos quando realmente se está convicto do que quer. 🙂 bora emagrecer, ser saudável e mudar realmente de vida!

    Responder

  7. pois é, sou vegetariana faz um ano e em processo de me tornar vegana desde novembro, tive altos e baixos justamente por conta da sociedade uqe não ajuda em nada, te tratam como ser de outro mundo por seguir aquilo que teu coração diz para fazer. Não consigo mais colocar carne na boca, se meu marido come carne, preciso pedir para ele escovar os dentes, pois o cheiro me deixa enjoada, mas ele faz isso de boa vontade, sem estresse. Fazer o povo entender que a gente não quer comer por uma questão de principios é muito dificil, e sempre vem com cada argumento que vou te contar… mas o negocio é ser teimosa e persisitente, um dia, chegamos onde queremos… bjuuuus!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *