Aceitar-se Não é Conformar-se!

Oi, oi, gente! 🙂

Eu ando sumidinha porque estou em semanas de provas e não consigo me dedicar ao blog, mas, hoje, em uma pausa nos estudos, vi um vídeo da Flávia Melissa (que eu amo e recomendo), onde ela tece uma reflexão sobre Aceitação versus Conformismo.

Hoje eu me sinto um pouco mais madura para falar sobre esse tema >> Auto-Aceitação << mas, minhas leitoras mais antigas sabem bem que nem sempre foi assim. Estava sempre em busca de aprovação e minha autoestima era pura palha! Para chegar ao grau de aceitação em que me encontro hoje (que ainda não é o ideal, ok? Estou na luta rs); foi um processo de autoconhecimento e prática de fortalecimento interior, intensos.

Auto-aceitação é prática diária de auto-observação e mudança de postura. É um processo pessoal e individual!

Quando escrevi o post falando sobre minha decisão de respeitar meu corpo e comer de maneira consciente e intuitiva, recebi um e-mail de uma leitora, que pedia para eu refletir se essa minha decisão não teria a ver com o fato de eu estar cansada de fazer dietas e estar querendo desistir de tudo e me conformar com minha gordura.

Bom, acredito que ela tenha o mesmo conceito que eu tinha antigamente: meu conceito sobre “aceitar-se” era sinônimo de estar me submetendo ou me subjugando, desistindo de lutar, sendo fraca… me ocorreu que assim como eu, quantas mulheres ainda não pensam o mesmo a respeito do assunto?

Preste atenção: Aceitação nada tem a ver com desistência ou resignação. Auto-aceitação é o primeiro passo para a transformação!

A tendência “natural” do ser humano é resistir, não aceitar, evitar tudo o que os contraria e causa sofrimento. Essa resistência vai nos deixando insatisfeitos.

Louise Hay diz o seguinte:
(…) Aceitação não é comodismo ou fuga, o ato da aceitação equivale a envolver com amor profundo os fatos que não podemos alterar e encará-los como circunstâncias a serem vivenciadas e vencidas para o fortalecimento do nosso ser.

Procure expandir a consciência, trabalhar a maturidade, o fortalecimento emocional, a espiritualização e certamente, vai aprender a aceitar-se. Não é uma tarefa fácil e nem um processo rápido, mas tenham certeza, é a única maneira de gerar real transformação na sua vida.

Quanto mais cedo você exercitar a aceitação, mais cedo começará a ser feliz! <3

Fiquem com o vídeo maravilhoso da Flávia.

Com amor,

Cíntia Milanese

2 Comentários


  1. Cintia, eu achava que me aceitava, acredita? ACHAVA, pois depois vi que não era bem assim… Afinal, eu sempre tinha algo pra mudar em mim (e não na minha vida, como o próprio nome do meu blog diz… rsrsrs).

    A gente está tão habituada a se depreciar (e você me deu o toque uma vez e constatei espantada que você estava certa!) que nem percebe que, no fundo, lá no fundo, nos achamos totalmente inadequadas…

    Ótimo texto (mas isso é me repetir, né? são sempre ótimos!).

    E, definitivamente, não dá mesmo pra mudar o que não se aceita!!!

    Beijos e bom resto de semana!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *