Livre-se das frustrações

Estava refletindo esses dias e percebi que este ano está sendo maravilhoso no sentido de mudanças pessoais:
Parei de fumar, meu emagrecimento que estava parado, agora voltou aos eixos, minha autoestima está melhor e minha reforma íntima está em andamento. Estou satisfeita por estar trabalhando para ser uma pessoa melhor, mais equilibrada e mais segura. Posso dizer que estou cuidando devidamente de mim e das pessoas ao meu redor.

Mas a pergunta que fica é: Porque existem pessoas que não têm cuidado com o sentimento alheio?
Por vezes, cuidar de nós nem é tão difícil assim, mas ter zêlo pelo sentimento alheio, ah, isso sim é o que chamo de GRANDE TAREFA, porque não é nada fácil!
Semana passada uma amiga me pediu socorro e, recebeu minha ajuda prontamente. Fiquei um pouco chateada pela ingratidão, afinal de contas, foram dedicados 3 horas do meu dia para ela e no fim das contas, nem um mísero “obrigada”, recebi.
 
Estou falando tudo isso para lhes dizer que, essa semana, durante o meu trabalho voluntário no centro espírita, fui acompanhar uma senhora até a sala de palestras e ao chegar na sala, eles estavam falando um trecho do evangelho que dizia que devemos fazer o bem ‘sem olhar a quem’ e sem esperar nada em troca. Como aprendiz eterna da doutrina espírita, não acredito em coincidências e, ter entrado no salão de palestras, justamente quando estavam falando sobre isso, foi para me fazer refletir.
Eu fiquei frustrada sem razão… sendo amiga, não deveria esperar que ela fizesse o mesmo que eu faria. Talvez o agradecimento maior e verdadeiro estivesse dentro de seu coração e o que está dentro do coração tem o poder maior que as palavras, sabia?
O que vai dentro da gente é tão grande!!!
Temos que nos conscientizar de que as nossas ações são como o espelho: refletem de volta aquilo que colocamos à mostra. Por isso, devemos cuidar para que as frustrações desnecessárias não tomem conta da gente.
Despeço-me hoje, deixando um vídeo que vale a pena ser visto e refletido.

Faça o bem sem esperar agradecimento!

Fé em Deus e pé na taba!

14 Comentários


  1. lindinha, deixa eu deixar um comentário aqui. tinha visto suas entrevistas no outro blog, mas, como não tenho como logar em nada daqui de baixo, só comento como anônimo.tem uma coisa que me incomodou tanto nesses vídeos… em algum momento, a entrevistada fala algo como valorizar o que a pessoa tem dentro e que não é só aparência que conta, algo assim (faz tempo que vi, não lembro direito). e vc parece ter concordado.sabe, tem uma coisa que muita gente considera como certa, mas que não existe. é essa dicotomia lado de fora/lado de dentro. acabei de ver que vc é espírita e talvez vc saiba dessas coisas de campo energético e afins. e tudo isso influencia muito na aparência da pessoa [já viu algum corpo sem vida? dá pra ver claramente que o que dava vida àquela aparência era o que havia ali dentro].concordo que existe uma ditadura da magreza pela magreza, mas não só magrelas que são bonitas. o que mais me incomodou na entrevista foi meio que dizer que a gordura é feia, mas que o interior é bonito. eu trabalho com pessoas obesas e a maior dificuldade é a pessoa entender que ela é, sim, aquele corpo. porque aquele corpo é resultado de várias “doenças” da alma. se vcs mesmas dizem que vcs são feias gordas, quem vai acreditar no contrário? vcs podem não ter dito isso abertamente, mas foi o que deu a entender. é análise pura e simples do discurso.e me revoltei porque te acho super bonita. vc tem sobrancelhas altas, o que levanta o olhar. tem maçãs do rosto bonitas, tem uma boca bonita. assume o cabelo afro curtinho e enfeita seu cabelo. usa óculos legais. isso é bonito. vc é uma mulher bonita!mas parece que vc é sensível demais, se magoa demais, engole demais. como se vc, por não ser o que vc imagina que é uma mulher socialmente aceita como “bonita” não tem nem o direito de existir. vc parece ser tão doce!se vc não gosta de estar acima do peso, ok, dou super apoio pra emagrecer.mas não espere emagrecer pra se sentir bonita. e não é pra aceitar prêmio de consolação (“estou gorda, mas sou legal e tenho que valorizar isso”. não! tem que pensar:”sou bonita, SIM, minha pele é perfeita, tenho olhar doce, sorriso bonito e, ah, estou acima do peso, mas estou resolvendo isso”.) por não se sentir merecedora do primeiro prêmio.não sei se vc me entende, mas vi o vídeo e fiquei meio revoltada. vcs não podem aceitar viver “apesar de”. apesar de não ser bonita, apesar de não ser loira, apesar de não ser magra. APESAR, não! senão, vcs caem no mesmo processo de sabotagem que as fez engordar. pq um belo dia vc vai achar que não merece. vai dizer que se valoriza, mas, lá no fundo, vai voltar o “apesar de”.espero que vc não entenda essa “bronca” negativamente. me revoltei exatamente por sentir coisas bonitas de vc. reveja aquele vídeo da menina de casaco creme, acho. preste atenção no que foi dito agora com outros olhos.tudo de bom pra vc. vc é BONITA SIM!ps: no seu tipo físico, a saída pra obesidade é treino pesado na academia. dá um resultado absurdo de bom. aeróbicos E musculação. pela tendência genética de acumular gordura, vc precisa manter seu metabolismo ativo, coisa que vc só consegue com músculos no seu corpo. cuidado com dietas e desafios feitos por leigas. são gatilhos pra perda de massa magra e não gorda.

    Responder

  2. tenho algumas amigas assim, infelizmente, hoje alguns sentimentos não são recíprocos….. mas estou tentando trabalhar esse lado da frustração…..adorei o videobeijos

    Responder

  3. Oi Querida, como sempre adoro passar neste seu cantinho que nos faz refletir. Fazer o bem sem esperar nem um obrigado é um exercício que leva tempo. Eu ainda me considero iniciante nesta área, mas pelo menos já tenho, como você, a consciência de que fazer o bem esperando a recompensa do “obrigado” não é a verdadeira caridade. O lado bom é que estamos aqui (na Terra) pra isso: aprender! :-)Um super beijo e ótima semana!Carla PanchaPS: este texto da anônima me calou fundo. Copiei para continuar refletindo nas palavras dela.

    Responder

    1. É isso mesmo… ngm é perfeito. Claro que a gente sabe que não deve esperar nada, mas e o coração que fica esperando? Saco isso… kkkkkkkkk 🙂

      Responder

  4. Ai Cintia querida sei bem como é isso. Meses atrás passei por esse sentimento de ingratidão com uma amiga também. Mas eu quebrei a cara com ela 2 vezes e resolvi me afastar não só por isso, mas por outras coisas. No meu caso foi melhor pois não estava me fazendo bem.Percebi que este ano também estou conseguindo me cuidar, me amar e me aceitar e estou mega feliz por isso também…e que isso nunca acabe rs.Bjus lindona!!!

    Responder

    1. Melhor coisa é se afastar daquilo que te faz mal. Apoiada.
      Caridade não é apanhar, né? 😉

      Responder

  5. Estou na fase de oferecer ajuda sem receber nada em troca..nós como seres humanos sempre queremos retorno do outro, não é? Mas já estou trabalhando isso. Obrigada por visitar meu cantinho e já esto te seguindo. Bjs. Sandra

    Responder

  6. este blog aqui tem a história de várias mulheres e seus problemas com os próprios corpos. não só gente acima do peso. acho que esse tipo de coisa faz muito bem pra autoaceitação. claro que ninguém TEM que ser obesa. mas pode se amar sendo obesa até emagrecer, se é isso que a pessoa quer. http://stophatingyourbody.tumblr.com/

    Responder

  7. OI Cinthiahoje resolvi te visitar neste outro blog e gostei muito. Lindo este video me emocionei.Muitos beijos para você e ótimo final de semana!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *