Muito Além do Peso: Um alerta aos pais…

Olá, magreletes e magreletos, tudo bem?

Vim falar sobre o documentário que o marido e eu assistimos ontem a noite:

Muito Além do Peso – Obesidade, a maior epidemia infantil da história.

Pela primeira vez na história da raça humana, crianças apresentam sintomas de doenças de adultos. Problemas de coração, respiração, depressão e diabetes tipo 2. Todos têm em sua base a obesidade. O documentário discute por que 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem a indústria, o governo, os pais, as escolas e a publicidade. Com histórias reais e alarmantes, o filme promove uma discussão sobre a obesidade infantil no Brasil e no mundo. (Fonte: Site Oficial).

No site oficial do documentário, é possível assistir online ou baixar o filme para ver na TV de sua casa (inclusive em HD)… se você tem ou pretende ter filhos, não deixe de ver. Aliás, veja de qualquer maneira, porque as informações e o alerta, adequa-se perfeitamente para qualquer faixa etária. Assista por você ou então, assista pelas crianças que você ama: seus afilhados, sobrinhos, irmãos, primos, enfim… é 1h30 de pura reflexão.

Elis Regina gravou uma música chamada “Como Nossos Pais”, que se resume em fazer as pessoas refletirem que acabamos muito parecidos com nossos pais…

“Minha dor é perceber, que apesar de termos feito tudo que fizemos… Ainda somos os mesmos e vivemos: Como nossos pais!”

 

Reparem entre seus amigos e familiares…  o quanto uma garota pode ser parecida com a mãe, seu irmão parecido com o pai e, do quanto suas primas se parecem com suas tias (gostos, gestos, manias), etc…

Sim, somos os mesmos e vivemos como nossos pais! Tentamos mudar em nós o que não gostamos nos nossos pais, mas no fim das contas, muito dos nossos valores, das nossas crenças, do nosso caráter  costumes e manias, foram influenciados pelos nossos pais e como num ciclo, isso continuará acontecendo nas próximas gerações. Por isso, reflitam: que valores você está passando para seus filhos? Você está sendo um bom exemplo para as crianças da sua vida? Você fuma? Você vive no vermelho? Você não tem controle emocional? Você tem algum tipo de compulsão? Você oferece alimentos saudáveis aos seus filhos? Você acalma seu filho oferecendo guloseimas pra ele? Você leva uma vida organizada? Você tem uma rotina saudável? Você estimula seus filhos a correr, brincar, andar descalço, praticar caridade, etc?

Pensem nisso: Não basta estimular. É preciso mostrar como é. Seus filhos seguirão seu exemplo!

15 Comentários


  1. Realmente, o documentário é alarmante. Eles exibem quantidades de gorduras e açúcares contidos nos alimentos industrializados de forma explícita e ver isso, em quantidades reais, é assustador.

    A geração dos nossos pais quebraram uma mesmice de diversas gerações. Nossas mães, por exemplo, foram trabalhar fora e buscar independência, coisa que antes pouquíssimas mulheres podiam fazer. Nossos pais quebraram UM POUCO do sexismo, que hoje ainda é forte, mas antes era MUITO MAIS FORTE. Nós, filhos desses "revolucionários", nascemos com outra cabeça, com mais liberdade de escolha, com mais liberdade de opinião, alguns de nós (como eu), nasceu ainda no período da ditadura, mas logo ela foi embora e etc.

    Essa mudança que eles promoveram trouxe novos problemas, entre eles, talvez seja essa falta de um contato 100% do tempo com os filhos que era mais comum antigamente, já que as mães tinham que ficar em casa. Hoje é comum crianças serem educadas pelas babás ou pela TV. A popularização da comida pronta, uma vez que agora falta tempo para preparar uma refeição. Problemas que surgiram quando outros problemas foram solucionados. Isso é a evolução humana.

    O que me alivia é que nós estamos tendo a consciência disso (consciência é o primeiro passo para a solução) e estamos tentando sermos melhores e talvez filtrar para nossos filhos, parte dos problemas que nós tivemos, assim como nossos país filtraram para dos problemas que eles tiveram para nós.

    Responder

  2. Pois é. Quando eu falei pra uns amigos que cortei refrigerante aqui de casa definitivamente, doces, só ocasionalmente, que meus filhos só consumem estas coisas em festinhas fora de casa, sabe o que eu ouvi? "Tadinhos! Que maldade"! Mas eu tenho que pensar que na nossa família há histórico de obesidade, problemas cardíacos e hipertensão. Preciso dizer mais?

    Responder

  3. Pois é. Quando contei pra uns amigos que cortei refrigerante e doces, eles só consomem em festinhas fora de casa, eles disseram "Tadinhos!". Mas eu bem sei o histórico da nossa família: diabetes, hipertensão e obesidade. Preciso cuidar da gente!

    Responder

  4. Ola Cintia te achei em um blog por ai.Te adicionei e estou passeando por aqui.
    Estou nessa grande luta de ser uma magrelete rsrsr.
    Já eliminei 4 kg apenas diminuindo a alimentação e fazendo atividade fisica.
    bjss e apareça.

    Responder

  5. Ola Cintia, boa tarde!
    Achei vc em um blog, e te adicionei.
    Parabéns pelo emagrecimento, também estou nessa.Vamos firme.

    Responder

  6. Ola Cíntia, boa tarde!
    Eu te achei em um blog por ai.
    Parabéns pelo emagrecimento, e pelas pedaladas.
    Também estou na luta para emagrecer, já eliminei alguns kilinhos, com a RA e AF.
    BJS

    Responder

  7. Eu já tinho visto uma prévia dos organizadores desse documentário no Agora é Tarde do Danilo Gentili (nem acreditei que estava realmente passando algo sério naquele programa mas ainda bem que estava rs) e fiquei impressionada só com a quantidade de açúcar que um copo de suco industrializado pode ter! Se o refrigerante já é ruim, o suco de caixinha carregado em muitas lancheiras todos os dias é aidna pior! E outras coisas absurdas, pais que simplesmente substituem a comida por bolachas recheadas, crianças que não sabem que a batata frita em palitinhos vem de uma raiz arredondada que nasce na terra, a diferença entre abacate e pepino…
    Falta consciência nos adultos, quem dirá nas crianças, criadas por esses mesmos adultos.

    Responder

  8. Vou baixar ese documentário. Debe ser interessante para passar na escola (sou professor), além é claro de ja me abrir os olhos para quando tiver filhos.
    Obrigada pela dica!

    Bj

    Responder

  9. Ola Cíntia!! muito interessante o post… é muito estranho quando me pego fazendo coisas que detestava na minha mãe.
    E sempre me pego pensando no que vou fazer, com relação a alimentação do bebê que ainda vou ter… Não quero passar hábitos negativos, que tenho com a comida. Como o descontrole diante de um prato preferido.
    Obrigada pelo toque… Bjs

    Responder

  10. Cintia é realmente um assunto preocupante e muito sério. Um belo dia ao ler a revista Pais e Filhos vi uma foto onde a mãe estava fumando e a filha imitando com um lápis ou coisa parecida. Aquilo bateu fundo em mim e dia 07 de setembro de 2006 definitivamente larguei o cigarro pra sempre, pois tenho uma filha que hj tem 13 anos e que me tem como exemplo. Como posso cobrar uma postura dela se eu não der um bom exemplo. inclusive com a alimentação . muito obrigado pelo post, vou procurar esse documentario. me diga: passou na tv ou esta em DVD nas locadoras… bjos

    Responder

  11. Eu sempre acreditei que na educação de um filho o exemplo está acima de qquer outra coisa.. quanto a obesidade infantil.. aki é o contrário.. tenho quase que chantagear pra comer…kkkk.. bjokas lindeza

    Responder

  12. Cíntia, muito obrigada pela visita e pelos comentários no Esbeldades. Quanta gentileza! 🙂

    Gostei do chamado que você coloca no seu post atentando ara o fato de que somos nossos pais… e que nossos filhos serão como os pais deles (no caso, a gente). Gosto da ideia de atentarmos mesmo para os exemplos que ofertamos a eles. Bem colocado! 🙂

    Ps: quando a musiquinha do post seguinte no ritmo de Gonzaguinha, SEN-SA-CIO-NAL!! Seria cômico se não fosse trágico, né? rs

    Beijinhos!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *