Novos Rumos…

Quando se trata do meu peso eu sempre quero tudo “para ontem” – mesmo que inconsciente.
Mas não pensem que esse é o meu maior problema… As vezes sinto como se eu estivesse nadando, nadando e não saindo do lugar. Alguém já se sentiu assim? É horrível!

Fico com uma sensação horrorosa de impotência, a ansiedade aumenta e o desanimo acaba aparecendo com cada vez mais frequência… Quando isso acontece, eu me sinto péssima. Paro de fazer o que é necessário e volto a fazer o que estou há meses tentando abandonar: os maus hábitos! 🙁

Outro dia eu me peguei pensando em acabar com toda essa luta e desistir de vez… aceitar minha impotência e assumir que sou gorda irrecuperável. Mas eu não acredito nisso… Ninguém é irrecuperável! O ser humano tem uma força que não dá para subestimar.

Onde encontrar a motivação para persistir? Como ultrapassar os próprios limites? De que maneira se vence a obesidade?

Não existe uma receita…

Cada um tem o seu tempo e particularidade para lidar com isso. E eu percebi finalmente, que estive todos esses meses, perdida.  Hoje, pela primeira vez, de mente aberta e limpa de qualquer pré-conceito, assumi pra mim mesma que tenho um problema: sou impotente diante da comida. Sou uma viciada em açúcar e carboidrato. E quando digo viciada, leia-se – quanto mais eu como, mais eu quero comer. Não consigo me concentrar na presença de comida. Quando sei que tem algo que eu gosto no armário ou na geladeira, não consigo pensar em outra coisa… só penso em ir lá e comer aquilo. Estive tentando me enganar, fingindo exercer um controle que não existe.

Eu procurei a Dra. Carla porque finalmente entendi, que sozinha eu não consigo. Não pensem que foi fácil aceitar isso.
Não está sendo fácil. Mas pela primeira vez me conscientizei de que não tenho a menor condição de elaborar um plano de ação e seguir em frente. Me sinto como uma criança assustada, que precisa de acalanto. Que precisa ser pega pela mão e conduzida ao caminho certo. E assim como uma criança, estou aberta a novas descobertas. Um pouco apreensiva com as descobertas que estou prestes a fazer sobre mim, confesso. Mas no geral, estou de peito aberto.

Não tenho como estipular prazos para as minhas metas, porque não dá para querer afirmar, mensurar ou estabelecer quando uma cura interior vai acontecer. Minha prioridade daqui para frente é me tratar, me cuidar, melhorar, curar minhas feridas.

Entendi finalmente que entre um dependente químico e eu, não existe muita diferença – (pelo menos não no que diz respeito ao controle de um vício).

Aqui estou eu, abrindo meu coração pra vocês que me acompanham e que dedicam tanto carinho… Aqui vou eu – trilhar um longo caminho. Longo, porém, seguro. Torçam por mim.

Fica ai uma das minhas músicas preferidas…

Obs.: Uma das… porque eu tenho centenas de músicas preferidas 😉

22 Comentários


  1. Você está indo muito bem, nunca pense o contrário. Faz parte do processo de cura estas avaliações. Nossa zona de conforto sempre foi a comida e e difícil acabar com essa relação. Eu parei de fumar, foi difícil, mas é infinitamente mais difícil deixar de comer o que nao deve…Vivo muito isso, mas o importante é perseverar. E conseguiremos!

    Responder

  2. OI, Cíntia. Sei bem como é isso! E sei também que você ou qualquer um aqui pode mudar sim a própria história. O mais importante é que você reconheceu e aceitou que precisa de ajuda e a partir desta atitude muitas outras virão e se modificarão! Desejo a você muita boa sorte, neste inicio de jornada. Pode contar comigo e as meninas do grupo maravilhoso que você fez, graças a esta sua iniciativa encontro forças para prosseguir. Obrigada e beijão Gisele S.A

    Responder

  3. Oi, Cíntia, sei bem como é isso. O mais importante é que você aceitou que precisa de ajuda, e a partir desta sua iniciativa muitas transformações incríveis aconteceram! Porque você assim o quis, e vai se preparar para que isso aconteça. É muito lindo o apoio que você recebe do seu marido, isso é sinônimo de amor e respeito. Não tenha medo de recomeçar, e mesmo que você tenha falhado, quem é que nunca errou que jogue a 1ª pedra. Minha linda, sacuda a poeira e dê a volta por cima, acredito em você e tenho certeza que muita gente acredita também. Quero lhe agradecer pela sua iniciativa de ter montado o Projeto Magreletes, e graças a este grupo estou conseguindo aos poucos chegar ao meu objetivo e tenho certeza que você também conseguirá. Beijo Gisele S.A

    Responder

  4. Aii cíntia. é complicado né; mais acredito q isso é por esses longos anos de uma alimentação sem controle, nao pense q isso só acontece com vc, porque acontece com muitas d nós.. e o bom é q vc viu a tempo e procurou ajuda a tempo.. e Eu sei e vejo vc mais q vitoriosa nesse processo de reeducação, onde envolve alimentação e a nossa mente, nosso psicológico né? rs
    Bjos linda e nao pense mais em desistir porque a vitoria é nossa!!!

    Responder

  5. Cintia,

    Não sei se vai entender bem o que digo porque as vezes não sou muito bo a com as palavras e acabo escrevendo diferente do que estou pensando… mas me sinto confortável quando li o que você escreveu.. porque as vezes eu penso que eu é que sou fraca e não consigo ter forças para enfrentar as dificuldades e acabo descontando na comida e usando a mesma como válvula de escape. Também tenho refletido muito sobre essa dependência. Meu marido é dependente do álcool e eu sei que sou da comida, mas sei também que posso mudar essa condição. Buscar ajuda é essencial pra isso porque sozinhas somos fracas, mas com força, foco e fé, temos certeza de que iremos conseguir.

    Responder

  6. é muito dificil Cintia, porém não impossivel, como vc disse somos dependentes da comida, me sinto péssima mais tenho que me acostumar com isso e viver de guarda alerta para sempre!!Fizeste bem em procurar ajuda, só quero que saiba que a ajuda que vc me dá com o projeto magreletes não há dinheiro que pague e sei que Deus te recompensará muitissimo!! Um grande abraço!

    Responder

  7. oi cintia muitas somos assim eu mesma me cosidero uma viciada em comida,por todos esses fatores que citou no post so quem sabe do que esta falando entende que nao existe diferenca entre vicios. nao sei se voce ja leu um site emagrecer de vez, muito bom , fala bastante da mudanca de dentro pra fora. bjss

    Responder

  8. Oi Cíntia!! Que vontade de estar pertinho de vc e abraçá-la! Também sou depende quimica (carboidratos e gorduras)e entendo perfeitamente, a gente se olha no espelho hj e está como estava ontem! Parece que nada muda! Mas temos que nos superar, temos que vencer!Todas as células do seu corpo estão lutando para mantê-la como vc sempre foi, afinal o seu corpo acha que isso é o certo, então a reprogramação da mente/corpo é lenta, é sofrível mas será para o seu bem! Não desista amiga!Vc é inspiração para muita gente, inclusive para mim!! E como diz minha filósofa favorita – Dóri do Nemo – Continue a nadar!!!:)

    Responder

  9. ola lindona me sinto assim como vc descreveu em seu texto , como prosseguir ? me sinto fraca incapaz é difícil mesmo mas vamos superar beijão ke .

    Responder

  10. Se ame antes de tudo. Queria o seu bem. Queria sua saúde em dia independente do peso. Pense em vc. Não desista. Vc é uma vencedora. No fundo vc sabe disso. Vc vai encontrar forças e quando não encontra-las, vc terá a gente para te ajudar. Levanta a cabeça e vamos lá!

    Beijos

    Responder

  11. Querida, o passo mais importante você acabou de dar: olhou para si com os olhos críticos que só nós podemos fazer (se outra pessoa fizer a gente manda praquele lugar! rs). Sabendo a causa, a solução fica mais próxima! Me identifico quando diz que não foi fácil admitir que não conseguiria sozinha: me senti a ssim quando fui procurar a psicóloga, pois me achava uma fracassada pessoalmente por não conseguir me resolver sozinha. Mas digo de cadeira que isso é uma grande bobagem. Hoje vejo a ajuda psicoterápica como o principal pilar na dminha força interna.
    Te desejo muita força e paciência consigo mesma. O caminho é londo sim, mas é possível e você está certa: ninguém é irrecuperável!
    Um super beijo e um abraço super apertado!
    POde sempre contar comigo!
    Carlinha

    Responder

  12. Olá Cíntia! Nossa parece que escreveu exatamente tudo que sinto. to impressionada com tudo, pois acontece o mesmo comigo. Tantas vezes pensei em desistir e dizia pra mim, vou me aceitar gorda mesmo e ser feliz, mas na verdade nunca conseguia me aceitar e ser feliz de verdade. Acho ótimo ter procurado ajuda, e eu se pudesse faria o mesmo. Na verdade estou completamente insatisfeita comigo, me sinto fraca e impotente, e na maiorias das vezes vc encontra pessoas que dizem "Isso é frescura, quer emagrecer é só fechar a boca"
    Só quem passa por isso entende. Força amiga! Somos mais fortes que td isso e vamos sim vencer esse "vicio". Bjssss

    Responder

  13. Cíntia, também sou uma doida por açúcar e carboidratos. Não consigo viver sem meu pãozinho… e alguns dias ajo como tu: sei que tem chocolate, nem estou com fome, mas quero comê-lo todo!!! Depois do doce vem a vontade do salgado, esta semana em um dia devorei uma barra de chocolate ao leite (das grandes) e meio saco de batatas fritas…

    Somo humanas e um dia a gente acha o caminho, sem desânimo, todo dia é dia de recomeçar =) Beijinhos e bom recomeço amanhã mais uma vez!!!!

    Responder

  14. Amiga vc é incrivel mesmo!!!

    o caminho será longo mas te conduzirá a muitas descobertas e seu conhecimento interior!!!

    Estamos juntas nessa, sou exatamente assim…. mas vamos vencer. Só o fato da gente estar junto trocando experiências já é uma coisa maravilhosa. To aqui se precisar e te desejo força porque sei que vc vai vencer!!! acredito em vc!!

    Responder

  15. Cínthia,
    Desistir sempre é a opção mais fácil, é muito cômodo ficar exatamente onde está. Mas você sabe que não é o que te faz feliz. A motivação para persistir você vai encontrar em você mesma. Sugiro que faça uma lista das vantagens de emagrecer, enfocando o que vc poderá fazer quando estiver mais magra que não possa fazer hoje. No final da lista, vc perceberá que não existem muitas coisas que não possa fazer desde já, portanto não há motivos para não se sentir feliz desde agora.
    Quanto a estipular tempo, prazo, realmente não dá mesmo. Que tal viver um dia de cada vez? Que tal pesar o que a deixa mais feliz, se enfiar o pé na jaca ou ver o ponteiro da balança baixando? Que tal se dedicar a outras coisas, a outros assuntos, investir em outros aspectos da vida?
    Somos um emaranhando de questões, e a cada dia temos que trabalhar um pouco nelas. Vc já está dando alguns passos neste sentido, e tenho certeza que é questão de tempo para encontrar o caminho que mais te satisfaz…
    Se cuida, boa sorte, sucesso e #tamojuntas.
    Bjs

    Responder

  16. Nossa me senti escrevendo este post amiga. É exatamente assim que me sinto. Faz um tempo que estacionei, que brigo comigo mesma todos os dias e que na maioria das vezes eu perco.
    Já pensei em fazer terapia tbm, mas ainda sou um pouco resistente a essa ideia. Mas força, vá firme. pq acredito que essa ajuda será fundamental.

    Grande Beijo.

    http://metamorfoseanali.blogspot.com.br/

    Responder

  17. Oi Cíntia…bom, entendo exatamente tudo que disse. Tem dias, as vezes semanas, as vezes meses, em que ficamos assim mesmo. É uma luta e tanto sair dessa, tomar folego e continuar o projeto! Mas esse seu auto-conhecimento, assumir que a comida é um vício, vai te ajudar a superar essa!!! Estou torcendo muito por você, porque essa semana também estava desanimadinha…mas olhei pra trás e percebi as conquistas que já tive. Só você sabe dos benefícios que já teve, pense neles…

    Beijosss

    Responder

  18. Cintia, entendo perfeitamente esses pensamentos "obsessivos" que vc tem, pq eu tb os tenho e acho que não estamos sós. Tenho essa fixação por comida tb, doces e carboidratos são minha perdição. E sinto essa necessidade principalmente quando estou de TPM ou algo ruim acontece.Realmente parece uma droga que sou viciada.
    Sou dependente emocional.
    Fico nessa fixação quando sei que tem uma comida especial.
    Estou lutando tb contra isso, o bom é que estamos conscientes desse mal, acho que já é um primeiro passo para a superação.
    E não desista, não me renderei jamais. Bjo

    Responder

  19. Cintia,

    Já me senti assim.. e qdo caio num episódio de compulsão sinto q nao vou ter forças pra recomeçar tbm.

    Consegui perceber sozinha q meu problema é aquele dos pós que viciam… não me lembro onde eu li: os 4 pós viciantes e brancos no mundo são: sal, açucar, cocaina e trigo.

    No inicio achei absurda a idéia de alimentos estarem alinhados com a cocaína… mas com episódio de compulsão eu me vi como uma viciada no fundo do poço, comendo bolacha aos prantos pq eu sabia q nao keria comer, estava consciente mas não conseguia parar.

    Qdo vi isso em mim, coloquei na cabeça q não dá pra comer nem moderadamente, nem um pedaço, nem uma mordida, pq eh abrir a porta do inferno e mergulhar de cabeça.

    NO ultimo episódio comi 3 pacotes de bolacha passatempo sem controle.. o q equivale a 24 pães franceses… e vira um ciclo vicioso maluco: trigo (pão ou bolacha) me leva ao açucar (qqr coisa doce), q me leva a gordura (frituras e chocolate) q me levam pro refrigerante (coca especificamente) e SE eu como açucar no café da manhã pode saber q durante o dia não vou seguir nada direito, perco a vontade e a iniciativa de beber os 3l diários de água, não faço AF e me perco no limbo da gordisse.

    Já fui de ingerir 4 litros de coca-cola num dia… de comer no mc donalds almoço e jantar a semana inteira… pedir 2, 3 lanches juntos.. me empanturrar de bolacha até ver o ultimo pacote acabar.

    Parei de comprar tudo isso, qdo casei enfiei na cabeça tbm q a cozinha seria minha, entao se eu não começasse a ter um controle real, a culpa de ser gorda era minha msm, pq enqto moramos com os pais, eles sao o motivo, vc começa dieta eles pedem pizza e ai vc acha uma desculpa pra cair de novo né?

    Vamo junto ae! Sempre. A luta não é fácil, mas lá no fim a gente vai poder rir, comemorar e ajudar mta gente.

    Bjo
    Mih Moreno
    opcaosermagra.blogspot.com

    Responder

  20. Nossa!!!! Nunca um post falou tanto comigo como esse. A cada linha que lia parecia que era eu quem estava escrevendo cada palavra e compartilhando cada sentimento. Sucesso porque vc ja conseguiu e vai melhorar mais ainda. bjooo

    Responder

  21. Cintia Não pode desistir nunca, por você e por todas nós que estamos nesta luta. Muitas de nó aderimos a este desafio por sua causa, porque você é uma grande inspiração. beijos e muita força.

    Responder

  22. ah lindeza como te entendo viu.. há alguns anos fui diagnosticada com depressão.. que me rendeu 30kg a mais em seis meses.. e com isso veio de brinde alguns transtornos que o meu "psicodoido" rs diagnosticou como minha pessoinha sendo compulsiva alimentar, shopaholic e mais alguns toc embutidos na "batida"… abandonei o tratamento porque não queria viver na base do medicamento.. e agora vou tentando contornar só com o "citá" e seja o ke Deus kiser.. te desejo todo o sucesso e to aki pra lhe oferecer todo apoio ke precisar.. bjokas e te gosto muitão

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *