Pense Magro #2 – Como Lidar Consigo?

Olá, magreletes. Conforme falei no post anterior (AQUI), estou (re)começando as tarefas do livro “Pense Magro – a dieta definitiva de Beck“.

À vocês que vão me acompanhar nessa empreitada, sejam bem vind@s! Se tiver blog, não se esqueça de levar o selinho. É simples, mas fiz com muito carinho! 🙂

Atenção às orientações abaixo. Essas orientações são passos importantes que antecedem os exercícios e, o que dará a sustentação para não sucumbirmos às nossas metas!

Uma das primeiras instruções do livro é:

“(…)escolha uma dieta saudável, nutritiva (aprovada por um nutrólogo ou nutricionista) e que você não a inicie até que esteja psicologicamente preparado.”

Ou seja, se você ainda não conhece o livro e não está fazendo nenhuma dieta ainda, a autora sugere que você aguarde um período onde possa se preparar para iniciá-la. Segundo ela, desta maneira fica mais fácil seguir firme depois.

 

Como foi a minha preparação

Conforme já devem ter lido no post anterior, é de extrema importância que aguardemos ao menos 15 dias antes de iniciar as tarefas. Isso, porque, precisamos entender e avaliar (racionalmente) os nossos pensamentos, os sentimentos que esses pensamentos geram e, como reagimos a eles. A partir disso, é que teremos condições de fazermos um plano de ação contra esses pensamentos disfuncionais.

Dito isso, agora, explicarei como o terapeuta que está me ajudando com as tarefas do livro, me orientou…

Contextualizando:

Na psicologia, existe um estudo que explica sobre “pensamentos automáticos“; que nada mais são do que um fluxo de pensamentos que aparece sem que nos damos conta. Esses pensamentos automáticos não causam problema algum, muito pelo contrário, são eles que garantem a nossa rapidez de raciocínio. O problema aparece quando esses pensamentos automáticos não correspondem à realidade. Por exemplo, quando uma pessoa está sensível ou em depressão, costumam ter uma série de pensamentos automáticos negativos e falsos, que faz com que ela se sinta mal consigo mesma… a esse tipo de situação, tratamos como “Pensamentos Disfuncionais“. (Beck, 1964).

Nós, que estamos acima do peso, com frequência costumamos ter esses pensamentos automáticos, mas os interpretamos erroneamente, de modo que eles acabam até se tornando tendenciosos.

O que eu penso –> gera o que eu sinto –> o que eu sinto –> gera meu comportamento!

Então, o Cadu me explicou que nossos pensamentos automáticos podem determinar nossos comportamentos. (o de comer emocionalmente, por exemplo…). Para o objetivo de modificar comportamentos pode-se trabalhar a mudança ou elaboração dos pensamentos automáticos; pois, ao nos conscientizarmos dos “erros” de pensamento, os corrigimos e, ao corrigir, nos sentimos melhor.

Então, durante as 02 semanas de espera, eu precisaria identificar esses pensamentos e anotar no meu caderno. Ele dividiu essa tarefa em 2 etapas…

Tarefa da primeira semana:

Na primeira coluna, descreva a situação; na segunda coluna, descreva o pensamento que você teve e, na terceira coluna descreva o sentimento.

Por exemplo:

Diante do espelho (situação) –> “Estou enorme!” (pensamento) –> Tristeza (sentimento).

TAREFA da segunda semana:

Na primeira coluna, descreva a situação; na segunda coluna, descreva o pensamento que você teve, na terceira coluna, descreva o sentimento e na quarta coluna, descreva qual foi o comportamento que você teve…

Por exemplo:

Diante do espelho (situação) –> “Estou enorme!” (pensamento) –> Tristeza (sentimento) –> Fui comer doce (Comportamento).

Os nossos pensamentos automáticos estão ligados à nossa forma de perceber o mundo, nosso histórico de vida e nossa autoimagem. Não são inconscientes, porém a maioria das pessoas não se dá conta quando eles surgem. Para a maior parte da população o único indício dos pensamentos automáticos são os sentimentos e emoções que eles deixam.

Então, o objetivo de fazer essa atividade é primeiramente se conhecer, para depois aprender lidar consigo mesma…

Eu fiz… amanhã é dia de encontrar o Cadu para que ele me oriente sobre os próximos passos… e daí, vou dividindo com vocês.

Fé em Deus e pé na taba!

Com amor,

Cintia Milanese

8 Comentários


  1. Ai ai os meus olhos até brilham quando vejo um RPD todo preenchidinho assim! Isso faz o coração do psicoterapeuta bater com muito mais amor.
    Parabéns pela dedicação e afinco.

    Beijos

    Responder

  2. Cintia, amei essas “tabelas” (elas possuem um nome específico?). Acho seriamente que vou copiar (posso fazer isso?). Sabe, esses dias tenho sentido muita falta de acompanhamento psicológico, pois eu tenho vááááários “pensamentos disfuncionais”. Hoje mesmo, no auge da tpm, estou pensando que “nunca mais vou emagrecer”… Enfim, autodepreciação em looping e super desnecessária, né?

    Admiro demais sua disposição – e, por que não dizer coragem? – de ir bem a fundo de si mesma, se conhecendo, se observando, se aceitando, se aprimorando. É um estímulo e tanto vir aqui e ler suas descobertas!!!

    Muito sucesso pra você! Estou na torcida!
    Beijos!

    Responder

    1. Oi, Mi, minha linda!!! 🙂
      Claro que pode copiar a tabela… sem problemas! Estou pensando em disponibilizar todas as tabelas via ebook… talvez outras pessoas também queiram, né?
      Fico muito feliz que esses posts tenham despertado em você, a vontade de trabalhar consigo mesma… Força! Beijinhos.

      Responder



  3. Boa tarde.
    Você ainda está fazendo as tarefas do livro Pensando Magro?
    Estou precisando muito ter alguém como incentivo.
    Iniciei hoje o 1º dia da segunda semana ( 8 – ORGANIZE-SE ) e tem sido muito difícil cumprir as tarefas.
    Escrever no blog te ajudou?
    Como funcionou o seu processo com o Livro?

    Responder

    1. Olá, Jamile, seja muito bem vinda ao blog. Estou em processo ainda, na quarta-feira, continuarei a escrever sobre as atividades. Não é simples de fazer, como a maioria acha. Exige um empenho nosso, E é possível sermos efetivas nas ações, se fizermos uma avaliação precisa dos nossos sentimentos e pensamentos. Conte comigo sempre. Bjs

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *