Um papo sobre “Escolhas”

Uma das coisas de que me orgulho, é da minha capacidade de recomeçar sempre que necessário. Hoje eu acordei pontualmente às 8h, passei pela balança algumas vezes e não tive coragem de subir nela. Quase 2h depois, finalmente respirei fundo e encarei meu medo. Fiquei alguns segundos de olhos fechados, sem querer ver o que me aguardava: o temido peso estava lá – assustador, apontando toda a negligencia que tive com meu processo de emagrecimento.

E eu chorei.

Por um momento eu desabei. Experimentei a culpa, o vitimismo, a auto-piedade, a fraqueza e fiquei com uma vontade imensa de voltar pra cama e chorar até pegar no sono de novo… Mas eu escolhi raciocinar. As vezes a gente deixa a emoção nos dominar e segue tomando atitudes irracionais, não é?

Parei, me acalmei e refleti.
Na minha trilha sonora interna seguiam, a síndrome de Gabriela:

(…) Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim…” e o sambinha da atitude: “(…) Reconhece a queda e não desanima… levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!

Eu adoro Dorival Caymmi, mas fui de Jorge Aragão!

Pensando racionalmente, reconheço as minhas habilidades e também as minhas qualidades. Eu sou bem mais que apenas um número na balança. E se você que está lendo, se identificou com o quadro narrado acima, saiba disso: assim como eu, você também tem o seu valor. Deixe que os pequenos fracassos te ensine algo além de autopiedade e depreciação. Concentre-se em seguir em frente. A gente não pode mudar o passado mas pode ter um futuro melhor, portanto, coloquemos nossa energia nisso. A vida é feita de escolhas e sabe o que escolhi fazer? Me perdoar e seguir em frente!

Vou estabelecer minhas metas e prazos e dar o melhor de mim para alcança-los.

Fé em Deus e pé na taba!

Com amor,

Cíntia Milanese

Chorei
Não procurei esconder
Todos viram, fingiram
Pena de mim não precisava
Ali onde eu chorei
Qualquer um chorava
Dar a volta por cima que eu dei
Quero ver quem dava
Um homem de moral
Não fica no chão
Nem quer que mulher
Lhe venha dar a mão
Reconhece a queda
E não desanima
Levanta, sacode a poeira
E dá a volta por cima

6 Comentários


  1. Olha eu aqui! Ah ja fiz tanto isso amiga que perdi a conta. Mas nas ultimas semanas estou mais firme e não me coloco mais na situação de vitima, porque finalmente enxerguei que estava perdendo tempo e que nada mudaria se eu continuasse questionando sem fazer nada! Vamos em frente! Beijossss

    Responder

  2. Carol, que gostoso te ver por aqui… 🙂
    Isso mesmo. Fico orgulhosa de ver seu amadurecimento, miga. Sigamos em frente, firmes e fortes! Beijinhos.

    Responder

  3. Cintia sabe quando Deus te sopra e vc vai lá e faz? Pois é, cheguei aqui no teu blog e estou amando! Esse texto então, foi um “acorda menina” para mim! Amei demais! E agora até me animei para malhar ( já tinha desistido porque comi doce no almoço kkkk ) Que bom! Vamos todas em frente! Beijo!

    Responder

    1. Que ótimo ler seu depoimento, Bella!!!
      Espero de coração que você siga em frente, forte e determinada! A gente vai se apoiando… Um beijo e volte sempre!!! 😉

      Responder

  4. A um mês, me vi nessa mesma situação, e realmente não vale a pena dar uma de vitima, mas sim levantar a cabeça e seguir em frente, o mundo não para só porque eu dei uma escorregada… é isso ai 😉 bjo

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *