Uma reflexão sobre os paradigmas da felicidade…

Olá, magreletes & magreletos, tudo bem? 🙂
Ontem, fiz uma postagem na Fanpage do Magreletes e também na minha página pessoal do Facebook: (clique na imagem para aumentá-la).

Essa reflexão rendeu uns comentários super interessantes entre meus amigos (no Facebook pessoal). Não vou colocar aqui o bate papo todo, mas é que achei curioso como a reação das pessoas são diferentes…
Uma das minhas amigas, sugeriu que eu comesse “só um pouquinho” (Claro… vou fazer uma panela de brigadeiro e comer “só um pouquinho” sim… aham…) – as pessoas ainda não compreenderam que assim como eu, a maioria delas ficaram gordas por fantasiar que poderiam comer ‘só um pouquinho’. Comer ‘só um pouquinho’ é a expectativa de muita gente… mas a realidade é que a maioria não consegue se controlar e o ‘só um pouquinho’ vira o TUDO ou QUASE tudo.

Coloquem na cabeça de uma vez por todas:

Em um processo de emagrecimento ceder um pouco é ceder MUITO!

Eu sei exatamente qual é o gosto do brigadeiro. Sei que quando eu atingir o meu peso ideal, vou poder comer novamente de vez em quando, mas até lá, EU, Cíntia – não posso comer certas coisas. No meu processo de reeducação alimentar, compreendi que existem alimentos que agem como uma espécie de droga pra mim… ou seja, se eu comer o primeiro pedaço, não vou conseguir parar depois (é assim com chocolate, cerveja, batata frita e bolo, por exemplo).

E enquanto eu refletia sobre isso, veio a Cybele (também conhecida como Bel) – do blog “Meu pé de Manjericão” – que levou a reflexão para muito além: Porque as pessoas querem ser felizes? E porque a felicidade tem que ser apenas quando se conquista algo? Porque é tão difícil ser feliz AGORA?

Super indico a leitura do post dela de hoje. Para ler, CLIQUE AQUI. Vale muito a pena.

Tenham um final de semana consciente!

Fé em Deus e pé na taba!

15 Comentários


  1. Para cada um é de um jeito…
    Eu ainda acho que a questão está no porquê emocional de querer comer uma panela de brigadeiro e não o brigadeiro em si.
    Bom fim de semana comportado pra você também!!! 🙂
    Beijocas
    Carla Pancha

    Responder

  2. Mãe, apareci no Projeto Magrelete, kkkk! Já rendeu uns comentários em meu blog. Fiquei contente que deu certo essa parceria, uma aprende com a outra. A sua reflexão inicial vai ficar na minha cabeça por algum tempo.

    Responder

  3. É realmente complicado, o ato de "só um pedacinho", também sinto que o chocolate é como uma droga pra mim, um pedacinho é uma barra toda e ponto final, ainda não consigo me conter totalmente.
    Siga firme mulher, você consegue.
    Beijocas

    Responder

  4. Oi querida, encontrei seu blog hj, justamente por essa postagem da Bel…super amei e concordo com vc…percebi isso em alguns dias…é como uma droga mesmo, se comermos o primeiro pedaço…estou retomando agora, espero ter sua força e determinação!!!bjos

    Responder

  5. Eu concordo plenamente com você nessa questão de só um pedacinho, também estou evitando alguns alimentos que sei que são o gatilho das minhas armadilhas.

    Mais nós vamos conseguir, somos fortes.

    Bom findi, beijos.

    Responder

  6. Te compreendo muito bem pois comigo é a mesma coisa. Ainda não estou preparada para o 'só um pouquinho', mas sei que um dia vamos estar.
    Parabéns por sua determinação!
    Acompanho sua luta aqui pelo blog e pelo face. Fique firme e forte sempre! Bjs bjs

    Responder

  7. Você falou tudo! Esse negócio de um pedacinho de uma coisa gigante não funciona comigo, ou eu como um mini chocolate ou não como, pois se eu comprar uma barra eu sei que vou comer pelo menos uma fileira! Triste realidade do cérebro obeso! =* Bjosss! Sucesso!

    Responder

  8. Sinceramente Cíntia eu nã o concordo que ceder um pouco é ceder muito quando se esta em RA.

    Para mim RA não é radicalizar e deixar de comer tudo que se gosta, é comer melhor e tentar trocar o máximo de coisas que não são boas por coisinhas melhores.

    Senão quer comer a panela de brigadeiro, passa na padaria e exerce o autocontrole comprando um só!

    Claro que isso é para cada um, se eu deixar de comer minahs besteiras, meu chocolate enlouqueço. Claro que não como mais uma barra grande em um sentada só! Uma barra dura dias, isso é controle.

    Para mim este processo não estaria funcionando se eu só fosse comer o que gosto quando atingisse meu peso ideal aí eu correria o enorme risco de engordar novamente tudo e mais um pouco.

    Mas essa sou eu 😛 Acho que cada uma sabe onde seu calo aperta =) Se este é teu caminho eu te apoio =) Beijinhosss

    Responder

  9. Olá Cintia,
    Encontrei o blog pelo freecycle, e adorei! Vc tá de Parabéns, vi suas fotos de evolução!!!

    Mas… Discordo do post de hj… Na minha opinião é possível sim REDUZIR ao invéz de EXCLUIR alguns alimentos da dieta. É uma questão de planejamento e força de vontade!

    Essa coisa de um alimento ser como uma droga pode até ser verdade, mas eu diria que se aplica a menos de 10% dos alimentos. E nestes casos, sinto lhes dizer, são alimentos que deverão ser evitados para sempre! Caso contrário cairemos no indesejado EFEITO SANFONA. Ou vc acha que depois que vc atingir o peso ideal, comer uma panela de brigadeiro não vai fazer vc ganhar peso??

    Enfim, a estratégia é a seguinte… Se vc sabe q só vai conseguir parar de comer qdo aquilo acabar, torne o fim mais próximo, por exemplo: tem um amiga que ama brigadeiro/ chocolate (esse não é o meu caso graças a Deus! rs), o que ela faz:
    1) determina um dia da semana para matar a vontade, tipo, sexta-feira. (Essa é a fase do planejamento)
    2) disponibiliza uma quantidade controlada da tentação…isso quer dizer que qdo for ao mercado não vai comprar uma caixa inteira de bombons! A gente sabe no que isso vai dar, né? rs Então geralmente comemos uma sobremesa com chocolate no restaurante. Aquela é sua dose semanal e acabou!

    Depois disso vem o controle! Nada de chegar em casa e comer mais chocolate! Não ter o chocolate da dispensa é algo que ajuda MUITO!

    Isso é um treino para a vida… Habituar o seu corpo ao fato de que vc pode viver só com uma porção controlada.

    Eu tenho um namorado que sempre come sobremesa após as refeições. É um hábito que eu não tinha… Mas prá acampanha-lo acabava comendo a sobremesa tb… Com o tempo notei que estava meio dependente daquilo, tipo, acabava de comer e já sentia falta do doce… Cortei o mal pela raíz! Parei de comer o doce depois das refeições! Ele come, mas eu fico só olhando. Não foi fácil, principalmente no início, mas hj é normal, meu corpo já sabe que eu não vou comer aquilo. As vezes, bebo um suco enquanto ele come doce.

    Não é que eu não coma doces… Mas o hábito de comer a sobremesa estava se tornando um "vício", eu sentia falta, então deixo o doce para outros momentos.

    Enfim, não é uma crítica ao seu post, mas quiz expressar uma opinião diferente.
    Desejo boa sorte, que vc alcance seu objetivo o quanto antes!

    Responder

  10. Nossa… passo direto por isso. Quando tem algo gostoso pra comer, que as pessoas sabem que eu mao: chocolate, dorvete.. sempre falam "mas um pouquinho só não faz mal". Mas eu não funciono assim.. eu não posso pegar um pouquinho. Provar e não poder comer tudo q eu quero me deixa pior que que nem provar. Fica mais difícil resistir. É como você disse, como uma droga mesmo.
    Foi assim que conseguir cortar o refri. Nunca mais dando nem um golinho.. desde o nascimento do meu filho. Hoje nem sinto falta!
    O legal é quando você resiste.. e depois a vontade passa, dá uma sensação muito boa!!! 😀

    Responder

  11. É amiga não é fácil, mas para ser magrelete tem que ser forte, pulso firme para conseguir chegar onde deseja. Não é mole, mas vale a pena!

    Continue focada, e não dê ouvidos a algumas pessoas mesmo que seja só pouquinho rs*

    beijos

    Responder

  12. Eu também me encaixo nessa turma. Não consigo ficar no "só um pouquinho". Por isso resolvi parar de tomar refrigerante. Foi difícil e, em alguns dias, ainda é. Mas já vai fazer um ano que estou sem. O principal é a gente perceber onde estão nossas limitações, né?!

    Muito boa reflexão!!!

    Beijinhos

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *